Sobre a doença

descrição

O que é o Tromboembolismo Venoso (TEV)?

O TEV resulta da formação de coágulos (trombos) nos vasos sanguíneos que resultam em trombose venosa profunda e por vezes embolia pulmonar.
Habitualmente as tromboses venosas profundas (TVP) ocorrem nos membros inferiores o que impede a recuperação do sangue devido à ação gravitacional e pode produzir sequelas como a síndrome pós-trombótica. A Embolia pulmonar (EP) é uma complicação de elevado risco que ocorre quando um coágulo se solta e através da corrente sanguínea chega aos pulmões, obstruindo um vaso e podendo originar choque e morte súbita
A maioria dos casos de trombose venosa, nomeadamente no pós-operatório, é silenciosa (são silenciosos) e por vezes os testes de rotina para a sua deteção mostram-se ineficazes.

Como prevenir ou tratar o TEV?

São várias as situações e fatores que aumentam o risco de sofrer uma trombose: cirurgia, imobilização prolongada, cancro, fratura da anca ou extremidade inferior, obesidade, história prévia de trombose, etc.
Nestes casos a profilaxia com um tratamento anticoagulante adequado diminuí consideravelmente o risco.
No caso de suspeita de um episódio de TEV deve iniciar-se o respectivo tratamento.

O que são anticoagulantes?

São medicamentos utilizados para a profilaxia e tratamento do TEV. Os anticoagulantes impedem que o trombo formado progrida, se fragmente e se espalhe pela corrente sanguínea, assim como evita a recorrência.
Entre os anticoagulantes disponíveis estão os de uso parentérico tal como a heparina não fraccionada, as heparinas de baixo peso molecular e o fondaparinux, e os de uso oral tal como os derivados cumarínicos, o inibidor directo da trombina e o inibidor directo do factor Xa.

Como se administram as HBPM?

As Heparinas de Baixo Peso Molecular (HBPM), são um medicamento anticoagulante de uso injectável por via subcutânea. Devem ser administradas na zona do abdómen, uma vez que é onde mais facilmente se consegue formar a prega cutânea, evitando hematomas.
Poderá ser administrado em zonas alternativas, nomeadamente a parte lateral e posterior dos braços e a parte superior dos músculos (face lateral) mas apenas no caso de ser impossível a administração na zona abdominal.

top